Objetivo


segunda-feira, 23 de junho de 2014

AINDA EXISTE VIDA NOS RIOS QUE CORTAM SALVADOR

                                                                                                                                     Foto Reynivaldo Brito
Na margem esquerda do Rio das Pedras em sua  foz  na Boca do Rio encontramos este belo exemplar de camaleão, que mergulhou na água poluída quando percebeu a nossa presença.
Após percorrer vários trechos dos rios que cortam a nossa cidade fui surpreendido ao constatar que ainda existe vida em seus leitos e  margens. Já os técnicos  concluíram que todos estão poluídos, e os sete maiores encontram-se  em péssima situação,  resultado dos despejos de esgotos de todos os tipos e objetos sólidos que são lançados em suas águas por onde eles passam.Esta é a conclusão de uma pesquisa feita pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos - Inema . Já as 13 lagoas monitoradas estão em melhor condição que os rios , sendo que 16,6% delas também estão completamente poluídas. A cidade tem 10 Bacias Hidrográficas:do Seixos,Ondina,Lucaia,Camarajipe, Pedras/Pituaçu, Passa Vaca,Jaguaribe,Cobre,Paraguari e Ipitanga. O estudo do Inema não enfocou as Bacias do Ondina e nem a do Ipitanga.
Os governos federal,estadual e municipal assistem a agonia dos rios e lagoas quase de braços cruzados, utilizando a máxima dos atuais e ex-dirigentes "que não sabe de nada ", e mais recente surgiu outra resposta "estou por fora".Os rios mais  poluídos são: o Camarajipe, Trobogy (afluente do rio Jaguaribe), Paraguari, Lucaia,Pedras, Cobre e das Tripas.
 Mas, não podem dar este tipo de resposta porque a poluição de nossos rios e lagoas é visível, basta uma simples olhadela ou mesmo através do olfato pelo mau cheiro que exalam ao passarmos  perto de  um deles. Os governos apenas monitoram a situação agonizante dos rios e lagos. É preciso uma ação estratégica para que esses mananciais possam ser recuperados em benefício dos moradores da Cidade e do próprio planeta Terra.

   Foto Reynivaldo Brito
Neste trecho encontrei três garças e quadro carcarás que estavam buscando comida no leito e
na margem do Rio Jaguaribe
  O Rio Jaguaribe tem suas nascentes nos bairros de Águas Claras, Valéria e Castelo Branco, cujo nome de origem tupi, significa Rio das Onças, percorre uma distância de, aproximadamente, 15,2km, passando pelo Jardim Nova Esperança, Cajazeiras VIII, Nova Brasília, Trobogy, Mussurunga, Bairro da Paz e desagua em Piatã, na 3ª Ponte da Avenida Octávio Mangabeira.
Tem vários afluentes de grande vazão, entre eles os Rios Trobogy, Cambunas, Mocambo, Águas Claras, Cabo Verde, Coroado, Leprosário, Córrego do Bispo, entre outros, que atravessam os bairros de Águas Claras, Cajazeiras II, IV, V, VI, VII e X, Castelo Branco, Sete de Abril, Canabrava, Novo Marotinho, Dom Avelar, São Marcos, Sete de Abril, Vale dos Lagos, Vila Canária e Alto do Coqueirinho." (SANTOS, Elisabet.Org. O Caminho das Águas em Salvador: Bacias Hidrográficas, Bairros e Fontes. Salvador, 2010.pag 227).
Existia um lixão no bairro do Canabrava que prejudicava principalmente seus afluentes os rios Trobogy e Mocambo. Felizmente ainda encontramos manchas de Mata Atlântica no seu entorno e desde 1993 abrange a APA do Abaeté.
    
Tem uma fonte que é a Fonte de Santo Antônio do Cabula, localizada na Avenida Luiz Eduardo Magalhães.
Lembramos que a maioria desses bairros estão ligados ao sistema de esgotamento sanitário,porém as milhares deligações clandestinas de esgoto à rede fluvial poluem os rios e dificultam a fiscalização.
                                                                                                                                                                        Foto Reynivaldo Brito
A foz do Camarajipe fica no Costa Azul e é um dos 
que recebem esgotos e poluentes sólidos.
 Quando chove a quantidade é assustadora. 

O Rio Camarajipe ( e não Camarujipe, como muita gente chama) nasce na Boa Vista de São de Caetano e desemboca na Praia do Costa Azul. Corta boa parte da cidade e certamente era um belo rio com águas límpidas e puras, com peixes e plantas.Hoje, está com seus 14 quilómetros completamente poluídos. Quando ele se aproxima de sua embocadura recebe um afluente que é o Rio Lucaia, o qual desemboca no bairro do Rio Vermelho.
A título de curiosidade o seu nome Camarajipe deve-se a existência em suas margens de uma planta chamada de Camará-Lantana , a Lantana Brasilensis,que é um arbusto de folhas aromáticas e frutos vermelhos que eram abundantes nas imediações do rio.
O rio das Tripas que está canalizado e corta a Baixa dos Sapateiros, é um dos mais importantes afluentes do Camarajipe. Ele nasce na Barroquinha e recebe contribuições da Ladeira do Funil, Largo das 7 Portas, Avenida Barros Reis,Cidade Nova, Matatu , Vila Laura e adjacências, até encontrar o Camarajipe na altura da Rótula do Abacaxi. Seu sofrimento é antigo. Ele foi batizado de Rio das Tripas porque ficava próximo ao primeiro matadouro da Cidade e os tratadores lançavam os dejetos dos animais nas suas águas.

Outro afluente do Camarajipe é o Rio Campinas, também chamado de Bonocô que hoje está completamente canalizado pela obra do Metrô. Estamos assistindo que paulatinamente em vez de despoluir os nossos rios as autoridades estão transformando-os em esgotos tampados a exemplo do Rio Lucaia, na Avenida Vasco da Gama; o Rio dos Seixos , na Avenida Centenário e o Rio das Pedras , no Imbuí. Qual será o próximo?
O Rio das Pedras tem como afluentes os rios Cascão,Saboeiro e Cachoeirinha ,pela margem direita e do Rio Pituaçu , pela margem esquerda.Nesta Bacia ainda estão os bairros de Porto Seco Pirajá,Granjas Rurais Presidente Vargas,Jardim Cajazeiras,Novo Horizonte,Beiru/Tancredo Neves,Engomadeira,Arenoso, Cabula VI, Doron, Narandiba,Cabula,Saboeiro,Imbuí e Boca do Rio.
Já o Rio Pituaçu tem cerca de 9,4 km e integra a Bacia hidrográfica do Rio das Pedras/ Pituaçu,sendo um dos mais extensos dessa bacia. Dizem que seu nome deve-se a existência de muitos camarões,há muitos anos atrás, e Pituaçu significa da língua indígena Camarão. Ele passa pelos bairros de Sussuarana, Nova Sussuarana,Novo Horizonte,Cab, Pau da Lima, São Marcos e Pituaçu.

Em 1906,o Rio Pituaçu, foi represado para ser usado no abastecimento de Salvador, formando a Lagoa Pituaçu . Suas nascentes estão nos bairros de Mata Escura e Sussuarana, e recebe também afluentes de bairros vizinhos. Próximo a represa de Pituaçu se encontra com o Rio das Pedras e segue esse nome até desaguar na Praia da Boca do Rio.
Desde 2002 que suas águas não são mais utilizadas devido a poluição causada pelos dejetos das construções feitas às suas margens e cercanias.
Quando estive em sua foz não vi água
correndo,apenas a canalização.
O Rio Seixos fica localizado entre o Vale do Canela e o Morro do Cristo , na Barra,tem cerca de 1,5 km de extensão. Seu nome significa Pedras Roladas e no passado “foi importante como defesa natural para as primeiras ocupações que ocorreram em Salvador. O sítio da aldeia onde viveu Caramuru, na região do Porto da Barra, tinha a depressão embrejada dos Seixos como defesa natural. Também serviu de proteção para o donatário Francisco Coutinho, que construiu mais de 100 casas protegidas de um lado pelo mar e do outro pelo Rio dos Seixos e seus brejos e charcos.”Q Suas nascentes estão situadas no Vale do Canela e na Fonte Nossa Senhora da Graça (construída, segundo a lenda, em 1500 por Caramuru, para a índia Catarina Paraguaçu nela banhar-se), ele passa por 3 bairros de Salvador (Canela, Graça e Barra) até se encontrar na praia do Farol da Barra (ao lado do Cristo) onde se encontra com o mar.
Vemos que é um rio de pequeno porte e de baixa vazão,raso,mas que ganha força nos períodos chuvosos. Todo seu percurso está em áreas urbanizadas seguindo a Avenida Reitor Miguel Calmon,ele possui alguns pontos de flora e fauna nativas o que é uma prova que sua recuperação é possível,bastando retirar os esgotos do seu leito.Desses rios o que apresenta melhor situação é o rio Cascão que passa pelo 19 BC.
Foto Reynivaldo Brito



A foz do Rio Lucaia que desemboca no Largo da Mariquita, no bairro do Rio Vermelho. è sem dúvida um dos mais poluídos

O Rio Lucaia nasce na Avenida Joana Angélica e sua foz é no Largo da Mariquita , no bairro do Rio Vermelho. Ele alimenta o Dique do Tororó e segue encapsulado pela Avenida Vasco da Gama até desembocar no mar.Todo o seu leito está contaminado. Ele recebe contribuições dos bairros de Fazenda Garcia,Tororó,Nazaré e do riacho que corta a Avenida Garibaldi. Ele é o último afluente natural da primitiva foz do Rio Camarajipe. Integram sua bacia os bairros: do Tororó,Nazaré,Barris,Boa Vista de Brotas,Engenho Velho de Brotas,Federação,Acupe e Rio Vermelho.

O Rio Camarajipe tem 14 Km de extensão, é a terceira Bacia em importância passa pelos bairros de Pero Vaz,Iapi,Caixa D'água,Pau Miúdo e Saramandaia onde ficam suas principais nascentes. Antes desembocava no Largo da mariquita ,sendo seu último afluente o Rio Lucaia, mas na década de 70 seu curso foi desviado devido as enchentes que causava nos períodos de muita chuva no bairro do Rio Vermelho.Assim na região próxima ao Iguatemi foi aproveitado o vale do Rio Pernambués,que foi cavado e alargado e passou a correr por ai a partir deste trecho indo desaguar entre o s jardins de Alha e dos Namorados. Recebe uma grande quantidade de esgotos e dejetos sólidos,sendo que um de seus principais afluentes é o Rio da Tripas, que nasce na Barroquinha e segue encapsulado passando pela Ladeira do Funil,Sete Portas,Bairros Reis,Cidade Nova,Matatu,Vila Laura até encontrar o Camarajipe na altura da Rótula do Abacaxi.
Outro afluente do Camarajipe é o Rio Campinas, também chamado de Rio Bonocô,o qual está canalizado com as obras do metrô.
Lembram os antigos que em suas águas havia pexes e crustáceos, principalmente pitus,até o início do século XIX.Tem várias fontes como Pedreiras, na Cidade Nova; do Queimado,na Lapinha; Barbalho,Fonte dos Perdões ou do Santo Antônio e a do Baluarte;da Estiva,na Liberdade; da Bica, em São Caetano e a Fonte do Conjunto Bahia , no bairro de Santana Mônica.
                                                 Foto Google
A fonte do Chega Nego em Ondina

O Rio Ondina, integram a sua Bacia os bairros de Ondina, Calabar e Alto das Pombas, além das localidades de Jardim Apipema, Alto de Ondina e São Lázaro. Alguns consideravam que esta Bacia era do Rio dos Seixos, porém como existe uma nascente de um córrego que "drena a localidade do Jardim Apipema e o bairro do Calabar", os estudiosos entenderam que existe um desnível no terreno ,permitindo a delimitação da sua Bacia. Foi ainda localizado um curso d'água completamente degradado que corre paralelo à Rua Nova do Calabar.Além de ser uma Bacia pequena muitos de seus córregos estão encapsulados subterraneamente e outros ainda são vistos a olho nu, como aquele que corta o campus de Ondina.A Bacia de Ondina tem ainda quatro fontes: A do Chega Nego,em Ondina ( na orla);a do Zoológico; a do Chapéu de Couro,na entrada do Zoológico e a do Instituto de Biologia.

                                                                                                                                     Foto Inema

Trecho inicial do Rio Passa Vaca,que tem área protegida
O Rio Passa Vaca - este rio nasce no bairro de Pau da Lima /São Marcos, "é sobreposto pela Avenida Paralela",atravessa todo o bairro de Patamares e vai desaguar no estuário do Rio Jaguaripe.Ele tem outra nascente no bairro de Valéria.
É importante salientar que na sua área de manguezal existe uma APP desde 2009 chamado de Parque do Manguezal do Passa Vaca entre os bairros de São Rafael e Patamares. Mesmo assim recebe muitos esgotos clandestinos devido a ocupação irregular de alguns loteamentos.

A área possui uma mancha de Mata Atlântica numa de suas nascentes e na área onde passa o Rio Pituaçu. Tem ainda um manguezal urbano na Avenida Paralela que precisa ser preservado para garantia da sua sobrevivência, pois sofre um ataque constante da construção imobiliária. Os governos que se sucedem pouco ou quase nada têm feito para salvar os nossos rios que ainda têm algo de fauna e flora nativas.
Foto Sema

O Rio do Cobre - este rio nasce na Lagoa da Paixão, no bairro de Moradas da Lagoa e sua bacia está localizada em grande parte no subúrbio ferroviário,sendo considerada a quinta em importância.
Ele é cortado pela estrada que leva a Base Naval de Aratu,sendo barrado pela represa do mesmo nome e desde 2001 foi inserido na APA Parque Florestal da represa do Cobre entre os municípios de Salvador e Simões Filho.
Integram esta bacia os bairros de Moradas da Lagoa,Valéria,Rio Sena,Pirajá e São João do Cabrito.
Tem um afluente no Dique de Campinas ( Dique do Cabrito) e a Represa do Cobre já foi importante para o abastecimento de Salvador.. A sua Bacia está ainda inserida na APA da Bacia do Cobre / São Bartolomeu,no Parque Metropolitano de Pirajá, e no Parque Municipal de São Bartolomeu.
                                                                                                                                         Foto Google
O Rio Paraguari - é uma das menores baicas hidrográficas de Salvador. Nasce na Estrada Velha de Periperi, Coutos e deságua na Praia de Periperi. Seu curso percorrer área de ocupação espontânea, inclusive com construções sobre o rio, sem qualquer sistema sanitário. Está ai um caso que a Prefeitura e o Governo do Estado têm que tomar uma medida urgente para acabar com este abuso.
Sua Bacia corresponde aos bairros de Nova Constituinte,Periperi e Coutos, enquanto as nascentes ficam em várias lagoas e áreas embrejadas e alagadiças na região da Estrada Velha de Periperi, em Coutos.
É um dos rios mais poluído,degrado e que precisa ser resgatado com urgência.Ao passar pelo bairro de Nova Constituinte encontramos vários imóveis em cima do seu leito com lançamentos de escretos humanos e esgotos sanitários ininterruptamente.
                                                         Foto Google

O RIO IPITANGA - Sua Bacia é na realidade uma sub-bacia do Rio Joanes,pela margem direita, que é a maior Bacia de Salvador, tanto em superfície como em volume d'água.É limitada pelos municípios de Simões Filho e Lauro de Freitas.

Desde 1999 tem a APA Joanes-Ipitanga e o Parque Ipitanga I que abrange os municípios de Salvador,Simões Filho,Candeias,São Francisco do Conde,São Sebastião do Passé,Camaçari,Dias D'Ávila e Lauro de Freitas com um total de 600 mil hectares nas bacias do joanes e do Ipitanga.

Nos seus 120 Km 2 de área ,sendo parte em Salvador e nos municípios de Simões Filho e Lauro de Freitas o rio Ipitanga tem entre seus principais afluentes os rios Cabuçu,Pote,Itinga,Caji e Cururipe. Sabemos que suas águas são utilizadas para a abastecimento público e industrial, além de drenar parte do Centro Industrial de Aratu, e represassem três pontos.

PARQUE PITUAÇU EM PERIGO !

  Vemos ai a barreira de boias colocada pelo pessoal do remo para conter a invasão das plantas aquáticas







Você pode andar de pedalinho numa paisagem deslumbrante

Estive visitando o Parque Metropolitano de Pituaçu. Logo á entrada temos o prédio da sede e um pequeno lago rodeado de esculturas de Mário Cravo. Encontrei alguns operários trabalhando na recuperação e aumento de algumas passarelas de cimento. o Parque está necessitando de uma atenção especial, principalmente a lagoa que foi tomada em grande parte por uma quantidade indescritível de uma plantinha aquática de folhas miúdas, mas compactas, que impede inclusive que os pedalinhos e os barcos do pessoal da Associação baiana de Remo pratiquem o esporte. Para que as plantas não tomem toda a lagoa o pessoal que pratica o remo no local colocou umas bói para conter o avanço das plantas invasores, porém, notei que elas já estão passando por cima e corre o risco de tomar toda a lâmina d`água.
O Parque em 1977 tinha nada menos que 660 hectares e devido a constantes invasões está hoje reduzido e 390 hectares, e ainda sofre uma grande pressão pela desocupação desordenada que campeia em nossa cidade.
Este é o maior parque público da Cidade e a Lagoa de Pituaçu tem um espelho d'água de 200 mil m 2, além de uma ciclovia de 18 Km. A segurança é razoável pois é formado pela Companhia de Polícia de Proteção Ambiental e seguranças contratados. O Governo do estado anunciou que serão gastos cerca de R$14 milhões nas obras de reforma do Parque que tem 392 hectares de área. Serão requalificados 15 Km de ciclovia, construídas outras estruturas de lazer,muro delimitando a área para evitar invasão e instalado um bicicletário.
Foram plantados em 2006, no entorno da lagoa, mudas de pau-brasil,aroeira,pau-pombo,jenipapeiro,cajá,mangaba,cedro e ipês roxo e amarelo, com o objetivo de recompor a área de mata atlântica que vem sofrendo com a ação desenfreada do homem.
Quanto a flora e a fauna estão bem preservados. No ano passado, exatamente no mês de março, uma sucuri saiu da água do lago onde fica o espaço com as esculturas de Mário Cravo e pegou um pombo, assustando os visitantes.Habitam o local muitos pássaros, répteis e mamíferos que sempre surgem encantando os visitantes.A lagoa também possui algumas espécies de peixes como tucunarés,traíras, dentre outros.


Operários construindo passarelas para pedestres de acordo com a reforma ora em andamento.
                                                                                                      










Este é o lago que fica logo à entrada do Parque Pituaçu, vendo-se a sede e prédios sendo erguidos no seu entorno








12:46
SALVADOR
Neste trecho do Jaguaribe encontrei 3 garças, sendo 1 grande e 2 menores e 4 carcarás.
Fiéis fazem homenagem a São Francisco Xavier

Postar um comentário